20/09/2015

Seda - Alessandro Baricco

(info, sinopse, etc. / Ed. Rocco 97 traduzida por Elia Ferreira Edel)
"(...) era um daqueles homens que adoram assistir à própria vida, considerando desnecessária qualquer ambição de vivê-la. Daqueles que observam o próprio destino da mesma forma que observam um dia de chuva. (...) Sua vida chovia diante de seus olhos, espetáculo tranquilo."


Honestamente? Concedo-me o direito de registrar minha relação com essa leitura exclusivamente por meio de gif (algo sempre tentador, aliás). Nada mais a declarar.

(Mentira, pois: 1: É preciso ressaltar que minha experiência parece ser exceção entre os leitores da obra. Quem gosta de narrativas poéticas, melancólicas, reflexivas, líricas, minimalistas, sei lá, deve dialogar melhor com ela; 2: Detestei a personagem principal - Hervé Joncour; 3. Como é possível que esse tenha sido o segundo livro que leio explorando bicho-da-seda?! O primeiro foi Middlesex, do J. Eugenides. Peculiar. Bom, talvez seja a tentativa de explorar um símbolo mais instigante, em detrimento das manjadas borboletas; correto?)

Nenhum comentário:

Postar um comentário