15/12/2020

Have you tried NOT being a Slayer?

Já que ímpetos nostálgicos parecem ser outra faceta deste prolongado período de isolamento e distanciamento sociais, tenho de admitir, embora me desagrade, que este post acaba sendo um novo episódio da imprevista e desnecessária antologia Crônicas da Pandemia. ~Pelo menos~, não tentarei fazer (pseudo-)poesia investida na busca obstinada de significados profundos. Ajuda, não? 

Ok; indo direto ao ponto: estou revendo Buffy, The Vampire Slayer. Na data em que escrevo, terminei de rever as quatro primeiras temporadas, de modo que este post restringe-se a elas. Como não pretendia documentar essa experiência no blog, não fiz anotações enquanto assistia aos episódios; portanto apenas puxarei da memória as breves impressões mais marcantes e, claro, inúteis.

(1) Estou seguindo à risca o clima de nostalgia, pois revejo a série usando o velho box de dvd's que segue ao meu lado mesmo após duas mudanças interestaduais > quem já fez mudança interestadual reconhecerá que maior prova de amor não há; sobretudo porque tive de carregar o único aparelho que toca a região 01 (de onde veio o box). Vergonhosamente, esta é a primeira vez que coloco todos esses dvd's pra rodar (depois de... 15 anos de aquisição? *meu deus*); e estou achando legal rever nesse formato, pois ganham-se ares meio ritualísticos: a hora é marcada (quando encerro o trabalho feito de casa), travesseiros são carregados pro sofá, o folhetinho do box é usado como guia na sequência de episódios... Entretanto, foi aborrecido descobrir que um dvd veio com defeito e não roda por nada. Nem tudo é glamour nesse papo nostálgico.

(2) Esta deve ter sido a frase mais entoada por mim, durante a primeira temporada: - meu deus, isso tem mais de 20 anos?! Onde foi parar todo esse tempo?! Mas, mas... não foi ontem?! Aliás, quando caí de paraquedas numa entrevista recente (em tempos de pandemia®) do David Boreanaz, vesti a carapuça (de caimento perfeito) do meme "Feeling Old Yet?"  ↷

Se ele está assim, e eu?! hahahahahahahahahahahahaahahaha😢
- Yes, I'm feeling old, ok? Happy?

(3) Por falar em feeling old, outra frase que desembuchei com certa frequência foi a inesperada:
"AGEISM!!!!!!" [Como traduziram pro português?! Velhofobia? Idosofobia? *o horror* / Atualizo: gerofobia] As piadas com o pobre Giles, especialmente na quarta temporada, são terríveis demais. O cara 1. não pode transar, pois: "Ew!", 2. não pode tocar violão no bar, pois é crise de meia-idade, 3. não pode andar com jovens, pois é coisa de loser; enfim, tudo que ele faz "fora da curva normal" é considerado asqueroso pela gangue. O episódio em que ele acorda um demônio e toma um susto quando se vê no espelho é a metáfora perfeita do que tenho passado revendo essa série. "- Sou uma demônia velhaca! Que puxa." Talvez, só talvez, eu não precisasse disso neste momento.
I feel you, Giles.

(4) Outra: descobri, lamentavelmente, que a velhice complicou-me a vida para os momentos em que preciso firmar o pacto ficcional. Explico: um marmanjo de 241 anos se apaixonando à primeira vista por uma garota de 15 anos? Olha, foi um bocadinho trabalhoso de engolir em 2020. Essa reação causou-me bastante espanto, pois, visto que fui uma manceba tonta (não que eu tenha virado uma matrona esperta, veja bem), é óbvio que o ship Buffy&Angel foi a primeira coisa que me fisgou na série. Nesta revisão, o que me irritou foi relembrar que é o Angel que começa a parada, todo cheio de galanteios e charminhos pra cima da Slayer que, puxa vida, estava super de boas no canto dela. Depois, o vampirão mala vem com o papinho de arrependido "~ãin, é errado; não posso, Buffy. adeus~". Se ele sempre esteve ciente disso (ou deveria estar); por que começou?! Ah, vá se lascar, Angel. E quer saber? Ele nem é tão bonito assim. Pronto, falei. Agora me questiono se, desta vez, embarcarei no ship Buffy&Spike, o qual sempre julguei um tanto lastimável, por mais que eu adore o Spike.

E aproveitando a deixa: como o Boreanaz atua mal, né? Por (muitas) vezes, é mega constrangedor de assistir. Ao lado dele, a Gellar é a própria Meryl Streep. Creio que não percebi isso, quando jovem. No entanto, a atriz que interpreta a Tara consegue ser pior do que ele; é surpreendente. 

(5) Embora a série tenha envelhecido relativamente bem (*acho*; mas tenho ouvido uns comentários tão peculiares sobre séries antigas, que não entendo nada), resta evidente que, caso tivesse sido concebida hoje, muita coisa seria diferente; com toda certeza. Por exemplo: 1. é quase certo que a jovem Sarah Michelle Gellar não teria a menor chance de ser escalada para o papel principal; 2. Kendra não teria morrido tão cedo, daquele jeito tão estúpido (que desperdício de personagem); 3. o a watcher provavelmente seria uma mulher (o grilo falante está me soprando esta: Ru Paul de watcher?! haha), 4. Xander não existiria (o sonho!), 5. em 2020, seria difícil acreditar que a caçadora levaria três anos para dar-se conta de que nada a obrigava a seguir ordens de um Conselho de britânicos, 6. a boca do inferno não ficaria embaixo da biblioteca da escola (ficaria em Silicon Valley?), 7. o Google solucionaria todos os mistérios? 8. Zuckerberg seria o "there's a demon in the internet"?! Por recomendação do departamento jurídico, encerro esse assunto aqui.

(6) Quando vi a série pela primeira vez, não lembro de ter ficado tão impressionada com a quantidade de jovens de Sunnydale High que perdem a vida. Tipo, não paro de imaginar como seria abrir o locker do colégio, e o corpo duro e frio de um coleguinha de sala cair em cima de mim. Na festa de graduação, o aluno orador comemora que, graças à Buffy, aquela era a turma com menor índice de mortalidade de todos os tempos — que maluquice! Inclusive, suspeito de que rolou uma decisão deliberada para pegar mais leve nas mortes, as quais reduzem consideravelmente a partir da terceira temporada. Suponho que minha nova reação também seja efeito da idade, pois a morte deixou de ser aquela abstração longínqua e distante, mesmo porque 1., digamos, já passeei desacordada, pela cidade, dentro de uma ambulância do SAMU (eternamente agradecida pelo trabalho incrível desses profissionais) e 2. estamos vivendo uma pandemia que, nesta data, matou mais de 180 mil brasileiros.

(7) Quero saber quando Elena Ferrante assumirá que a terceira temporada de Buffy, The Vampire Slayer serviu de inspiração para a Tetralogia Napolitana. E aí, dona Ferrante? 
Lenu e Lila, as caçadoras de vampiros.

(8) PEDRO PASCAL FEZ UMA PONTA EM BUFFY!!!!!! AAAHHHHH! Quando o reconheci, dei um duplo twist carpado no sofá, tamanho o susto. Ele interpreta um universitário fã do livro Of Human Bondage*, do Somerset Maugham e, coitado, é transformado num vampiro. (*li há um tempão, mas Mildred Rogers é uma personagem que não larga o pé do leitor.) Quando bater aquele desespero patrocinado pela Sonhos Destruídos S.A., terei em mente este grande exemplo: num dia, você é o reles figurante de uma série (então) pouco aclamada; no outro, o protagonista de uma série de sucesso da Disney. Tudo pode ser, só basta acreditar. - Xuxa Meneguel 

(9) Ah, também reparei que, a cada nova temporada, Sarah perde uns, chuto, seis kilos; curioso. Outra coisa que chama atenção é o estilo da Buffy, o qual muda bastante ao longo da série > óbvio, pois acompanha as modas do tempo e o amadurecimento da personagem. Disparadamente, prefiro o estilo dela na segunda temporada e detesto o que fizeram na terceira > talvez a proximidade do (não-)bug do milênio tenha fritado nosso senso estético daquela época. 

(10) Sei que me arrependerei, porém vou arriscar uma listinha com os 10 episódios favoritos dessas quatro temporadas revistas:

S01E10 - Nightmares
S02E03 - School Hard
S02E06 - Halloween (pode ser meio bobo, mas eu amo esse ep.)
S02E09/10 - What's my line? (são duas partes, então contarei como um ep., dane-se)
S03E09 - The Wish
S03E12 - Helpless
S03E18 - Earshot
S04E02 - Living Conditions (outro meio bobo, mas que amo demais)
S04E12 - A New Man
S04E21 - Primeval

**sem acreditar que, hoje, de boas por não incluir Surprise, Innocence e as duas partes de Becoming, ainda que os adore.

(11) As próximas temporadas (S05, 06, 07) são praticamente um mistério pra mim, dado que jamais revi nenhum de seus episódios. (Ora, nem do tal chip do Spike eu me lembrava, pra ser honesta.) Animada para o que me aguarda — contudo serei forçada a fazer uma pausa, porque 2021 começará com uma chatinha mudança de apartamento.

Riley: You'd find some other way. You're really strong; like Spider-Man strong. And you're in charge. You make the plan, execute the plan. No one gives you orders. 

Buffy: (well...) I'm the Slayer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário