Mostrando postagens com marcador series. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador series. Mostrar todas as postagens

28/03/2016

[DROPS] [Arquivo X - S03E22] vs [Moby Dick]

                                  

Guardando este diálogo aqui, pois amei demais. So goooood. (#maratonaArquivoX)
SCULLY: Poor Queequeg. 
MULDER: Why did you name your dog Queequeg? 
SCULLY: It was the name of the harpoonist in Moby Dick. My father used to read to me from Moby Dick when I was a little girl, I called him Ahab and he called me Starbuck. So I named my dog Queequeg. It's funny, I just realized something. 
MULDER: It's a bizarre name for a dog, huh? 
SCULLY: No, how much you're like Ahab. You're so consumed by your personal vengeance against life, whether it be its inherent cruelties or mysteries, everything takes on a warped significance to fit your megalomaniacal cosmology. 
MULDER: Scully, are you coming on to me? 
SCULLY: It's the truth or a white whale. What difference does it make? I mean, both obsessions are impossible to capture, and trying to do so will only leave you dead along with everyone else you bring with you. You know Mulder, you are Ahab. 
MULDER: You know, its interesting you should say that, because I've always wanted a peg leg. It's a boyhood thing I never grew out of. I'm not being flippant, I've given this a lot of thought. I mean. if you have a peg leg or hooks for hands then maybe its enough to simply keep on living. You know, braving facing life with your disability. But without these things you're actually meant to make something of your life, achieve something earn a raise, wear a necktie. So if anything I'm actually the antithesis of Ahab, because if I did have a peg leg I'd quite possibly be more happy and more content not to be chasing after these creatures of the unknown. 
SCULLY: And that's not flippant? 
MULDER: No, flippant is my favourite line from Moby Dick. 'Hell is an idea first born on an undigested apple dumpling', huh?
Decidido: deste ano, a leitura de Moby Dick não me escapa. (espero)

Poster by: J.J Lendl 

01/03/2016

[Mad Men Reading List] Nancy Drew #01 - The Secret of the Old Clock - Carolyn Keene




























Retomando a listinha literária de Mad Men; selecionei o livro que a Sally Draper lê em Beautiful Girls, o nono epísódio da quarta temporada. Rigorosamente, Sally aparece lendo o 28o. livro - The Clue of the Black Keys (1951) - da clássica e looonga série americana adolescente The Nancy Drew Mystery Stories, publicada ao longo dos anos de 1930 a 2003; e acabei optando pela leitura do primeiro livro dessa franquia - The Secret of the Old Clock (1930). Carolyn Keene, na verdade, é um pseudônimo que incluiu um grupo variado de ghost writers ao longo dos anos e, pelo que pude entender, os livros foram um dos grandes sucessos daquela época no gênero(?) atualmente reconhecido pelo mercado editorial como Young Adult (YA). A premissa da série é simples: jovem garota atua como detetive, desvendando um novo mistério a cada volume. Embora eu não tenha assistido à esta série, acho que é seguro afirmar que Veronica Mars* seja, em linhas bem gerais, uma versão 2000 da Nancy Drew. (* Quando teremos, Netflix?)

Recentemente, a rede americana CBS anunciou planos concretos de produzir uma adaptação contemporânea das obras para uma série de tv e, agora que concluí a leitura, ficou ainda mais fácil compreender a grande repercussão gerada pela afirmativa daquele canal de que Nancy Drew não será uma branca caucasiana. Nesse primeiro livro da série, a narrativa faz questão de deixar absolutamente claro que Nancy era "uma garota atraente" de 18 anos, loira, alta e de olhos azuis. Ah, e rica, obviamente. Filha de um advogado famoso e influente, Nancy morava em uma mansão em "River Heights", era popular, comprava vestidos nas melhores boutiques e dirigia um novíssimo carro conversível azul marinho que acabara de ganhar de presentinho do papai. Acho que não seria exagero afirmar que ela era praticamente uma Barbie Detetive - She got it all!!  Neste artigo da Paris Review - X, Isabel Ortiz esclarece que a aparência física dela (e mesmo a idade) mudou entre os vários volumes da série ao longo dos anos, usualmente guardando relação com o perfil hollywoodiano da moda. 

Mas e quanto à personalidade da Nancy Drew? - She was flawless!! Não consigo chegar a uma conclusão definitiva se isto seria um problema absoluto a ser criticado no livro, mas o fato é que a Nancy era inegavelmente uma perfeita Mary Sue. Todos (ou quase, já que as mean girls da escola a detestavam) amam a Nancy - antes mesmo de conhecê-la, pois era amor à primeira vista -; ela era a paladina dos oprimidos (humanos, animais, plantas, aliens), uma alma caridosa que só queria fazer o bem, sem olhar a quem. Durante a resolução do mistério, Nancy prova ser uma moça inteligente, corajosa (encarava e perseguia bandidos!), perspicaz e determinada, demonstrando possuir um aguçado poder de dedução. Uma heroína assim tão forte, porém simultaneamente inatingível, unidimensional e excessivamente idealizada, representaria uma figura de inspiração positiva ou negativa às adolescentes daquela época? Ambas, com ressalvas? Essa parece ser uma discussão que rende bastante. Lido o livro, decidi rever o tal episódio de Mad Men ** (não lembro de mais nada; que horror!), e pude relembrar que ele narra o dia em que Sally foge sozinha da casa em que morava com a mãe no subúrbio (Don e Betty estavam recém-divorciados) para encontrar-se com o pai em Nova York. Ou seja, no contexto de Mad Men, pelo menos, esse perfil da Nancy parece ter servido como símbolo bastante oportuno e preciso na construção da narrativa de Sally.

E qual seria o tal mistério desse primeiro livro? Bem, é fácil resumir: um velho ricaço morre e, contrariando todas as promessas que ele havia feito à infinita parentada pobre, o testamento revela que toda a herança iria para os Tophams, a família ~do mal~ (sim, pois todas as caracterizações do livro são puramente maniqueístas) que o abrigara durante os anos que antecederam ao falecimento. Mas, mas, como assim?! E a orfã que precisa estudar? E a mocinha que quer ter aulas de canto? E a velhinha que necessita de um cuidador? E os primos que querem viajar? Nancy, será que não haveria... um outro testamento?? Onde estaria escondido? Pronto, está aí o mistério, só que - PAUSA - Vamos voltar ao título do livro? "O segredo do velho relógio". Então; pegou, pegou? (Writer, you had one job...)
"This is the first mistery I've solved alone," she thought. "I wonder if I'll ever have another one half so thrilling."
É claro que essa leitura me exigiu a devida e ampla contextualização, contudo, para minha grata surpresa, ela acabou sendo bastante fácil, já que as características de época e de gênero exageradamente acentuadas que encontrei tornaram o efeito final muito mais cômico, do que aborrecido.
---

** em nota não diretamente relacionada: esse é o episódio com uma das melhores cenas ever (♥/✞):

Acho que não precisa chamar a Nancy Drew para resolver esse mistério...
Como talvez dissesse Suassuna: morreu de velha.

10/02/2016

[X] - Arquivando a Folia 2016

 
Pois é, nunca vi Arquivo X. ¯\_(ツ)_/¯

Em minha defesa (acho que a série pede defesa, né?), cabe esta embaraçosa confissão: eu tinha medo de assistir, pois fiz parte da geração (existiu?) de crianças traumatizadas por filmes de alienígenas que 1. abduzem pessoas, 2. introduzem instrumentos fálicos em múltiplos orifícios humanos e 3. engravidam mulheres com bebês alienígenas. Sim, eu assisti ao E.T., mas a singeleza não foi suficiente para neutralizar o horror dos aliens ~do mal~. O trauma era tão intenso, que - cá entre nós - houve um tempo em que eu dormia de janela fechada por medo de ser abduzida. ENFIM.....!!

Com a atual volta da série, me animei para tentar encará-la. Aliás, haja animação para encarar mais de 200 episódios com ~50 minutos de duração. Iniciei essa empreitada definindo a meta de derrubar a primeira temporada durante este carnaval. Segue um diário da maratona, com fotos e/ou observações aleatórias/inúteis; episódio a episódio.

Art(edited)/gif by Lucile Patron  

Arquivo X - Primeira Temporada

✗ S01E01 - Pilot

* Certo; deram uma boa e rápida apresentação das regras do jogo: Mulder - psicólogo formado em Oxford - está ficando muito ~saidinho~ na condução dos X Files - casos relacionados a "fenômenos inexplicáveis" - (quem será que está ficando tão incomodado? Vamos acompanhar.) -, e recrutam a Scully - formada em Medicina e Física - para meio que ficar de babá dele. É, acontece.

* Ah, já no piloto o Mulder fala sobre a irmã abduzida aos 08 anos, quando ele tinha 12 anos. É, dessa história, eu já sabia.

* E parece que, durante o flash (?) em que houve "tempo perdido", a Scully ganhou marcas. Aliás, foram três, e não as duas conforme demais garotos abduzidos da turma. Significa que...? Eles/Ela foram/foi abduzidos/abduzida durante aqueles minutos? E por que o Mulder mentiu? Isso vai dar merda; vamos acompanhar.


* Os. malditos. implantes!!!!! ARGH, é mesmo, como eu pude me esquecer desses troços assustadores dos filmes que eu via? E ainda tem espaço para mais um na caixinha que, "por acaso", está no Pentágono. Sei. (Aquele é o tal "Canceroso"? É, acho que sim.)

* E o Mulder corre. É claro que o Mulder corre. ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥!!!


✗ S01E02 - Deep Throat
* Nossa, quanta mudança em relação ao piloto (fotografia, áudio, cabelos...)! No entanto, segundo o IMDb, não houve nenhum intervalo entre as datas de exibição dos dois episódios. E só aqui apareceu a famosa e ótima música de abertura.

* Foi bem rápido: já tivemos o primeiro OVNI! Quer dizer, mais ou menos, pois trata-se de uma espaçonave militar fabricada com tecnologia alienígena. Eita!!


* Parece ser meio complicado lidar com o raciocínio do Mulder. Se você mesmo não dispuser de uma boa justificativa, ele com certeza sempre terá uma de suas teorias para oferecer. Ele opera praticamente com uma versão do "Because of Reasons" (vira:) → "Because of Aliens". Pobre Scully.

"The truth is out there." (...)
"They've been here a long, long time."
(mãe, tô com medo)

* Por favor, que belíssimo topete:



✗ S01E03 - Squeeze
* É, aqui as coisas ficaram um bocadinho trashy. Um mutante com mais de 100 anos que, a cada 30 anos, sai do estado de hibernação para comer cinco fígados? Como é que é?

*

Sim, já era: estou completamente apaixonada pelo Mulder. ♥♥♥♥♥♥


"You may not always agree with me, but you respect the journey."
Awwnn, que bonitinha a construção do relacionamento entre o Mulder e a Scully.


✗ S01E04 - Conduit
* Estou começando a perceber que é preciso ficar beeeem longe de florestas.

* Muito engraçada a dinâmica que se estabelece entre o Mulder e a Scully:
1. ela pergunta o que ele acha,
2. o Mulder manda sua explicação - Muldersplaining! - e
3. Scully rebate com suas impagáveis variações de "cara de incredulidade."
Mas será que o Mulder estará certeiro em todos os episódios ou ele vai mandar algumas bolas pra fora ao longo da série? Vamos acompanhar.


It's Ruby! Oh!

* E temos mais algumas informações sobre a abdução da irmã do Mulder. "Não tenha medo, não vamos machucá-la, ela vai voltar." Será que a "voz" disse mesmo a verdade? Vamos acompanhar.


✗ S01E05 - The Jersey Devil
* Olha lá, é a floresta de novo. Eu avisei, não avisei?

* Ok, agora foi trashy hardcore.
The resemblance is remarkable!


* Esse papinho da Scully com a maternidade; papo de que "ela vai entender quando tiver filhos"... sei não... Juntando com aquelas marquinhas lá... significa um futuro...: ALIEN BABY???!!! E os pingentes religiosos e de crucifixo dela são pistas de alguma coisa? Os caras ousaram mesmo fazer a provocação in the end, it's all a matter of believing?! Vamos acompanhar.



✗ S01E06 - Shadows
* Exploramos o fascinante fenômeno da manipulação psicocinética + fenômenos espectrais fantasmas. Heavy Shit.


✗ S01E07 - Ghost in the Machine
* Episódio sobre inteligência artificial. Chato.


✗ S01E08 - Ice

* Esse episódio foi maravilhosamente trashy. Os dois foram parar no círculo polar ártico, enfrentando um parasita pré-histórico(?) / alienígena(?). Tosco no melhor nível possível. Amei. (E houve participação especial da futura Mrs. Soprano.)


✗ S01E09 - Space
* Também achei meio chato. Um marciano espectral (?) que parasita um ex-astronauta.

* E a Scully parece estar pronta para participar do clipe da Janet Jackson:


✗ S01E10 - Fallen Angel
* Mais uma história de abdução - esses e.t.'s são bastante ativos, não? -, com um alien na Terra e efeitos especiais seriamente toscos.

* E quem é o sujeito fingindo-se de amigo do Mulder? A gente pode confiar nesse cara? Qual é a dele, afinal? Vamos acompanhar.

* Poxa, a Scully nunca testemunha os fenômenos. Vai ser sempre assim? Vamos acompanhar.

* (ufa, não tenho cicatriz atrás da orelha.)


✗ S01E11 - Eve
* Em linhas gerais, é o episódio em que Arquivo X antecipa Orphan Black. Também me fez lembrar do mangá Monster. De qualquer modo, não é mesmo uma premissa exatamente original: experimentos genéticos conduzidos durante a segunda guerra mundial, que acabaram dando muito errados. Já encheu. 


✗ S01E12 - Fire
* Show do mutante pirotécnico; enquanto o Mulder, coitado, sofre de pirofobia.

* E os roteiristas têm a pachorra de mandar uma ex-namoradinha do Mulder, diretamente da Inglaterra, para pôr mais lenha na fogueira (pegou?) da tensão sexual. Só que a Scully, meus queridos, sambou na cara de todos. Até aqui, acho que a série está precisando de mais episódios que, como esse, fortaleçam melhor o protagonismo da Scully. De certo modo, a personagem tem sido muito mais uma ponte para que a personagem do David brilhe. Vamos acompanhar.

* E curiosidade: os celulares começam a aparecer só agora - o episódio foi ao ar em 17/12/93. Mas creio que, no episódio anterior, a Scully também usou durante uma breve cena.


✗ S01E13 - Beyond the Sea

* ~Transmissões psíquicas de outro mundo, do além-mar~.

* Ora, ora; então tivemos, sim, mais espaço para a construção da Scully. Legal.

* O humor do início da temporada parece ter sido abandonado nesses últimos episódios e estou sentindo um pouquinho de falta, confesso.

* Ah, eu tinha esquecido de comentar uma, digamos, ~futilidade~: a pele dos atores aparece nas cenas em close-up como verdadeiros pêssegos. A tecnologia HD desgraçou a vida da galera.

* E estou achando bem interessante a gradativa construção da relação dos dois agentes. Ele chamou ela de Dana pela primeira vez. Awwwnnn.

- Dana, after all you've seen; after all the evidence, why can't you believe?
- I'm afraid. I'm afraid to believe.



✗ S01E14 - Gender Bender
* O famigerado trope "The Evil Demon Seductress"..., não, espera um pouco. Tem um plot twist!

* É, dá pra dar uma ~problematizada~ nesse plot, dado que ele acaba reforçando certos estereótipos: quem se comporta fora do dito normal deve ser um alienígena. E perdão pela dedução hipotética esdrúxula, mas, se você fosse um e.t. vivendo entre humanos, não seria mais inteligente misturar-se entre os ordinários?

Scully, isso não faz o menor sentido.


✗ S01E15 - Lazarus
* Dois caras morrem no mesmo momento, e um deles ressuscita no corpo do outro.

* A facilidade com que o Mulder saca as coisas chega a ser quase irritante.


Obs.: em nota não diretamente relacionada ↪ nesse ponto da maratona, eu acabei tomando um baita spoiler da série no twitter, e estou bem triste. (˘︹˘)


✗ S01E16 - Young at Heart

Vai arrepiar os cabelos... do Mulder???!!
Eita, será que devo continuar assistindo? Estarei preparada??!


* Nhé, mais um punhado de experimentos científicos mambo jambo à la Frankenstein. Muito chato.

* Ah, e todo mundo morre por parada cardíaca, FBI. A pergunta a ser feita é: o coração parou por quê?

* O canceroso deu as caras no finalzinho.


✗ S01E17 - E.B.E.


- Mulder, I've never met anyone so passionate and dedicated to a belief as you. It's so intense, it's sometimes blinding. But there are others that are watching you, who know what I know; and whereas I can respect and admire your passion, they will use it against you. Mulder, the truth is out there, but so are lies.


✗ S01E18 - Miracle Man


*Eu podia jurar que o curandeiro era o Anakin Skywalker. Mas nem é.


✗ S01E19 - Shapes
* Detesto histórias de lobisomens. Chaaaaato, chato.

History, people.

* Licantropia? Existe um termo para designar uma doença em que a pessoa acredita poder transformar-se em um lobo?! Mas veja só. Vivendo e aprendendo.

* - Don't you ever get the creeps?"  É, Scully; admita aí.

* Um problema até aqui com a série: não iniciaram a construção consistente de nenhum grande arco principal de história. Tratam-se, basicamente, de causos pontuais e, bem, episódicos; quero dizer, aquele esquema da "aberração do dia". Essa estrutura narrativa para séries de tv não é exatamente minha favorita.


✗ S01E20 - Darkness Falls
* Ah, olha lá, é a floresta de novo. Já tinha até esquecido.


* Insetos; uma das coisas mais assustadoras que existem. Argh. Episódio bem legal.


✗ S01E21 - Tooms
* Putz, voltamos ao mutante do terceiro episódio. Nhé.

* E devemos chamá-lo Mulder; não Fox. Ok.

* O canceroso abre a boca pela primeira vez.


✗ S01E22 - Born Again
* Episódio bastante parecido com o sexto. Nhé.

"End of field journal; 19/04/94.
Agents of record: Fox Mulder and Dana Scully.
Status: Unexplained."
¯\_(ツ)_/¯


✗ S01E23 - Roland
* Mataram o sujeito enfiando-o dentro de um tanque de nitrogênio líquido. ⊙﹏⊙



✗ S01E24 - The Erlenmeyer Flask
* Vírus alienígenas, genes extraterrestres, terapia genética extraterrestre (!) e... o FBI encerra as atividades relacionadas ao Arquivo X. E agora?!

* Ah, e o "amiguinho" (?) Garganta Profunda já era. (Ou não? Vamos acompanhar.)

Scully, você ainda precisa de mais alguma prova?

* O Canceroso é um alienígena, não é isso? Ou talvez um híbrido? Vamos acompanhar.

#FIM#

Média final da temporada: 7.67.
Dá para melhorar isso aí, pessoal.